Início Colunistas Planejando o Enxoval do Bebê por Mamãe Coach

Planejando o Enxoval do Bebê por Mamãe Coach

195
COMPARTILHAR

*Este artigo foi escrito por MamãeCoach  

Dicas de Economia

A gravidez é um momento tão mágico, por muitas de nós, tão esperado, que assim que descobrimos que estamos grávidas somos tomadas por uma grande mistura de sentimentos. Medo, ansiedade, felicidade…

Esse, é sem dúvidas, o grande fator que pode nos levar a comprar desenfreadamente, sem sequer planejar o que realmente será necessário.

Os amigos e familiares que acompanharam de perto a minha gravidez, sabem que aqui em casa vivemos um processo um pouco diferente, já que era o meu marido quem ficava enlouquecido, querendo comprar tudo o que via pela frente…foi uma fase muito legal, ele ficou muuuuito engraçado, toda a sua empolgação, envolvimento e entrega a esse momento me deixou ainda mais apaixonada.

Mas enfim, apesar de toda a emoção que sentimos, o ideal é que procuremos seguir alguns passos básicos nessa hora, evitando assim gastos desnecessários.

enxoval-do-bebe-30174

1. Aguarde a confirmação do Sexo do bebê: Se você sonha em fazer um enxoval personalizado, predominantemente azul se for menino, ou rosa se for menina, é interessante aguardar até que você tenha certeza do sexo do bebê e assim evitar comprar algo que depois acabe não usando. (É claro que sempre é válido comprar algumas peças neutras, se atentando somente a temperatura em que o bebê irá nascer).

2. Calor ou Frio?  Além de saber o sexo é importante fazer as contas, para saber a data  prevista do parto e consequentemente saber se deverá fazer um enxoval para o frio ou para o calor. Lembre-se de levar em conta se ele nascerá no inicio ou fim do inverno, por exemplo, já que se ele nascer no fim do inverno as roupinhas de tamanho M,  terão que ser mais leves do que as RN e P.

3. Enxoval de 0 a 3 meses: Outro ponto importante para evitar gastos desnecessários é comprar apenas o que o bebê usará no máximo nos três primeiros meses, já que mesmo que bebê seja pequeno ou grande durante a gestação, você só terá certeza de como será o seu desenvolvimento quando ele já estiver aqui “fora”. Assim, na medida que o bebê for crescendo você saberá o que deve ou não comprar.

4. Comece pela Mala da Maternidade: No geral, as maternidades oferecem uma lista com os itens e as quantidades do que deverá ser levado por você na malinha do bebê. Começar o enxoval por esses itens te trará economia, além tranquilidade para esperar esse momento. Compre peças tamanho RN somente para levar para a maternidade, por menor que o bebê nasça, ele ganhará um bom peso já nas duas primeiras semanas. (Quando fiz a malinha do Rapha, a maternidade pediu 6 “kits” (body, culotes/mijão e macacão) eu comprei 3 no tamanho RN e 3 no tamanho P). Consulte minha sugestão de Lista para a maternidade aqui.

5. Pesquise e peça dicas de Lojas com bom preço: Uma boa dica, para matar a vontade de estar perto de tudo que se refere a gravidez e bebês, é usar os primeiros meses apenas para fazer pesquisas. Visite o maior número possível de lojas na sua cidade, na internet, consulte seus amigos que já tiveram filhos, descubra onde estão os melhores preços. Assim quando a sua jornada começar você já terá um cronograma para seguir na hora das compras, isso com certeza vai te ajudar a economizar (tempo e dinheiro).

6. Faça boas escolhas: No que se refere a bodys, culotes/mijão, meias e até os macacões para ficar em casa, procure economizar, já que são peças que ficarão em baixo do macacão ou serão vistos por poucas pessoas, além do fato de que nessa primeira fase os bebês costumam ganhar bastante peso e perder uma enorme quantidade de roupas.

7. Antecipe-se: Outra coisa que pode começar a ser pesquisada nos primeiros meses são os móveis do quarto do bebê. Comprar com antecedência vai permitir que você faça parcelas até o nascimento do bebê, o que pode ser uma boa. É preciso levar em conta que esses produtos podem ter prazo de entrega/montagem longa, se deixar para comprar muito próximo do fim da gestação pode correr o risco deles não chegarem a tempo, e sem dúvidas esse é um desgaste que você vai querer evitar. O ideal é comprar berços que viram caminha depois, assim a peça terá vida longa e a criança poderá usar facilmente até os 4 ou 5 anos. Pense nisso também quando for comprar o guarda-roupa e outros móveis para o quartinho do bebê.

8. Aguarde o Chá de bebê e os presentes: No geral ganha-se muitos presentes dos amigos e familiares nessa fase, e no chá de bebê você pode pedir os produtos de higiene, fraldas e alguns itens específicos, como Kit de Unha, termômetro… Então é válido aguardar e comprar apenas o que faltar. Dica: faça o chá de bebê por volta do sétimo mês, assim você terá tempo suficiente para comprar os itens que faltar, lavar e passar todas as roupinhas para chegar às últimas semanas de gestação com a máxima tranquilidade.

9. Não estoque produtos de higiene e fraldas: Apesar de parecer ser uma ótima ideia, você corre o risco de ter que se desfazer de parte ou de todo o estoque de determinado produto, caso o bebê apresente alguma reação alérgica. Por isso, recomendo que compre ou peça no chá de bebê, apenas um item de cada (Sabonete, Shampoo, Colônia, Óleo, pomada anti assadura, lenço umedecido…). O Rapha, por exemplo, só pode usar Pampers, as outras fraldas causaram irritação, ele também teve alergia do repelente* da Turma da Mônica (*uso recomendado após os 6 meses ou de acordo com a informação contida no verso do produto).

10. Organize-se para o primeiro mês após o nascimento: Essa não é exatamente uma dica de economia quanto ao enxoval, mas gostaria de dividir essa dica, que infelizmente eu não apliquei na minha vida e isso me custou muito cansaço e gastos extras, sem dúvidas. Durante a gestação ficamos tão focadas em detalhes como comprar e organizar o enxoval, organizar o chá de bebê, arrumar o cantinho que irá abrigar nosso filhote, lembrancinhas e até os cuidados com a mamãe para o dia do parto, que muitas de nós podem se esquecer de que depois do nascimento do bebê haverá uma mudança gigantesca de rotina em nossas vidas. Por isso recomendo que se planejem e organizem a rotina, pelo menos do primeiro mês. Como acredito que essa é uma dica que pode ser muito valiosa, fiz um post inteirinho sobre ele, clique aqui e veja na íntegra.

Com carinho,

Vanessa Braga

“Porque padecer, se podemos apenas viver no paraíso”.

*Este post foi produzido através de pesquisas realizadas em alguns sites, além da minha própria experiência.

10926199_448969688587617_7367958618185121028_n

Conheça mais sobre o Blog MamãeCoach

Facebook

COMPARTILHAR
Post anteriorBravinhus Race II, os meninos correram!
Próximo postSono infantil e Tecnologia por MãeMatraca
Laura Carvalho

Laura Carvalho
Mãe do Jean (5 anos) e do João (4 anos), 31 anos, Influencer Digital, autora dos Blogs Mãe de 2, Nós Mães e Mães na Corrida. E desde o nascimento do Jean ela largou a carreira para se dedicar totalmente a maternidade.
Após mudar para São Paulo começou a escrever e dividir suas experiências com outras mães através do site e suas redes sociais. No final de 2015 Laura encontrou um novo hobby, e que tem se dedicado cada vez mais, corridas de rua, só em 2016 Laura participou de mais de 40 provas.